Patagonia Run 2015

A largada aconteceu as 21hs da sexta-feira (10/04/2015), mas na verdade ela começou bem antes.
Foi muita preparação e muito treino(corrida, pilates e musculação), investimentos em equipamentos, tratamentos de fisioterapia. Muito planejamento que culminou nesta largada tão esperada.

Fomos em um grupo de amigos e chegamos alguns dias antes e demos uma volta pela cidade, retiramos kit, assistimos congresso técnico, ficamos ansiosos, demos boas risadas, não necessariamente nessa ordem rsrs

DSC_0123_4

DSC_0177_4

Nossa largada era as 21hs, então acordamos pela manhã, café da manhã, almoço e partimos para o quarto para relaxar… Curti uma banheira quentinha e descansei. Lá pelas 20hs já estávamos concentrados na praça da largada curtindo a ansiedade pré-prova. Percebi que minha gopro estava sem bateria momentos antes da largada… Dada a largada, fui beirando a calçada e deixei a gopro com minha esposa… Aliviar qualquer peso nestas ultras ajuda bastante🙂

Começo da prova consegui acompanhar meus amigos. O ritmo era bem fácil. Qualquer subidinha já andávamos e usávamos os trekking poles para economizar energia.

DSC_0181_3

Primeiro posto aproveitamos o powerade que tinha em abundância. E enchi a cara de powerade rsrs. Segundo posto mais gatorade e aproveitei também a dopinha que tinha por lá. Só que depois que dali comecei a sentir aquela dor de barriga básica. Estávamos ali pelo km 24 e o proximo PA seria lá pelo km 30. Aguentei enquanto pude, mas chegou um momento que falei para meus amigos seguirem e entrei no meio do mata de uma trilha hehehe. Foram duas paradas antes do PA e mais uma parada no PA.

Neste PA do km 30 encontrei meus amigos novamente, mas foi triste porque um amigo abandonou por dor no joelho e outro por enjoos, vomitos e dor no estômago. Neste PA o frio pegou bastante… Saí dali tremendo, correndo com meus amigos. Mas eles se distanciaram um pouco nas subidas e eu segui sozinho.

Foi bastante tempo correndo na madrugada sem ver ninguém. E vi que estava preparado para isso, pois em nenhum momento me abalei psicologicamente com isso. Mas é bem louco correr por terras desconhecidas na madrugada sozinho. Quelquer barulho no meio do mato assusta a gente.

Ali pelo km 50 tinha a pior subida. Subi usando os trekking poles e cheguei lá no cume cansado, mas ainda bem das pernas. Como estava bem, nas descidas eu aproveitava, e da mesma forma que a subida até este cume foi bruta, a descida também era. Encontrei meu amigão seu Luiz e passei ele na descida pq ele estava sentindo dores no joelho e tornozelo.

DSC_0198_4

Continuei descendo acelerado e de repente senti aquela dor aguda no joelho esquerdo. A dor foi tanta que mal conseguia dobrar a perna esquerda. Dúvida: este foi o primeiro sentimento, mas resolvi seguir até o próximo PA e lá decidir o que fazer.

Tentava correr compensando de um jeito e doía, tentava de outro e doía, agachado doía, pulando doía, rolando doía kkk… Ficou bastante difícil… Então basicamente eu segui assim: Nas descidas não dobrava a perna esquerda, nas subidas andava no sacrifício, e no plano conseguia trotar. Nestas ultras a gente aprende que depois de machucar alguma coisa, a gente compensa e dá um jeito de continuar no sacrifício. Encontrei o seu Luiz e corremos juntos uma parte: nas subidas e descidas ele me esperava e no plano eu esperava ele. Mas percebi que um estava atrasando o outro, porque estávamos nivelando por baixo rsrs. E falei para ele seguir sem me esperar para que um não atrapalhasse o outro por causa dos horários de corte.

Aí o que estava difícil conseguiu piorar no km 70, pois ali percebi que tinha torcido o pé direito. Fiquei bem mal porque fiquei mais lento do que já estava. Estava sozinho fazia um bom tempo: mentalizava na chegada, pensava em minha esposa. Mas estava muito difícil. A batalha psicológica foi grande e tive altos e baixos. Mesmo assim segui na estratégia: nas subidas me arrastava, no plano eu corria, e nas descidas parecia robô: não dobrava a perna esquerda… É rir pra não chorar kkk mas olhem o lugar que eu encontrei nesse momento.

DSC_0213_4 DSC_0216_3 DSC_0228_4 DSC_0233_4

DSC_0235_4  © Mariano Paz 2015

Ali pelo km 93 cheguei em um ponto de corte e me disseram que eu tinha cerca de 3hs para chegar no km 101(proximo ponto de corte). Ele me disse que dificilmente eu chegaria lá e mostrou que a maioria estava desistindo ali. Mas minha força mental estava boa e pensei: 8km em 3hs é moleza heheheh

Saí dali correndinho e até me animei na subida com um trote, mas de repente a subida ficou pesada, bem pesada. Essa subida era equivalente àquela subida dificílima do km 50. Comecei a passar por atletas sentados, deitados, exaustos. Parecia cena de guerra e acho q isso me abalou porque percebi que eu também estava exausto e andando muito devagar nesta subida no melhor estilo walking dead. Em certo momento sentei e comecei a chorar porque vi que estava muito dificil conseguir. Mais uma vez pensei em minha esposa e foquei na chegada, dessa forma consegui força para continuar.

Aí dois gringos passaram por mim num passinho geriatrico(devia ser um pace de uns 20’00”/km), e me chamaram “siga passito, passito” (algo do tipo) e resolvi seguir eles. Mas eu estava tão mal que não conseguia acompanhar o ritmo geriatrico deles e fui ficando pra trás, mas não parei… Continuei cambaleando no estilo walking dead e segui no meu suuuperrr pace de tartaruga geriatriaca.

Quando cheguei no cume e olhei para trás, vi uma das paisagens mais bonitas e me emocionei bastante. No estado que a gente fica, a gente começa a dar muito valor nessas coisas simples…

PatRun2015DC_2677

Olhei no meu gps e vi que teria uns cerca de 30mins pra fazer uns 4km de uma descida bruta. Comecei a correr como dava… Toquei o foda-se para meu joelho esquerdo e comecei a dobrar ele na descida tentando ignorar a dor. A descida era bem íngreme e com bastante areia vulcânica fofa, bem difícil.

Quando vi, já estava chegando no ponto de corte. Pedi pra encher a minha mochila de hidratação e me avisaram que eu tinha 1minuto pra sair. Me ajudaram com a água e me falaram que dali em diante era plano. E tinha cerca de 1hr pra correr 9km.

Saí correndo em um pace que seria possível, mas de repente começou uma subida leve e tive que andar, e a subida piorou. Olhei meu gps e percebi que não ia conseguir. Comecei a chorar. Muita decepção comigo mesmo. Me preparei tanto, mentalizei tanto na linha de chegada, queria dedicar tudo à minha esposa… Por isso chorei. De repente apareceu um carro recolhendo os atletas. Mandou eu entrar, disse que eu não passaria do corte e mandou eu entrar. Tentei conversar, mas eles não me entendiam e eu não entendia eles… Aí chorei mais hahaha Fiquei no km 101..

DSC_0238_3

Depois me levaram até uma van, que me levou de volta até a cidade, onde encontrei minha esposa. Mais choro, desta vez minha esposa chorou junto comigo na parceria rsrs

Dia seguinte eu e todos meus amigos destruídos mancando rsrs
Estavamos em 6 nos 120km e apenas 3 completaram. Eu fiquei no km 101 em 21hs15mins por tempo de corte… Foi uma distância de respeito, mas ficou a sentimento de frustração… Acho que tem que sentir na pele pra entender meu sentimento. Me preparei e investi tanto nesta prova e fui tão longe, faltou pouco…

Saí dali achando que nunca mais correria distâncias longas porque machuca demais. Chamo isso de deprê pós prova longa. Isso passa… Passou rsrs

Analisando tudo, falhei em dois pontos:
– acho que treinei demais, faltou descanso;
– acho que pulei etapas, minha maior distancia anterior era 50km e quis saltar direto para 120km.

Não dá pra pular etapas. Aprendi… Ou não rsrs

Mas já estou de volta às loucuras… Logo mais conto minhas novas loucuras…

Olha o link aí da corrida:

http://www.movescount.com/moves/move59345433

PS: Foi bastante difícil escrever este post… A corrida foi em abril e o post está saindo em novembro rsrs mas acho que toda a dificuldade da prova justifica…

CorreJapa!

2015

Feliz ano novo galera!

Ano novo, vida nova, novas promessas, novas metas.

image

2015 já garantiu desafios de gente grande para mim. Abaixo irei descrever os desafios na ordem em que as inscrições foram confirmadas:

– O primeiro confirmado será em terras Argentinas: Patagoniarun 120Km com largada as 21hs de 10/04/2015(sexta). Este será o desafio mais cabuloso em toda minha curta experiência de corredor. Fiz essa loucura de me inscrever nos 120Km, e sei que vai ser dificil demais. Só de pensar que depois de correr 78Km, ainda vai faltar uma maratona (42Km) para terminar a prova… Que loucura eu fiz hahaha

– Depois dessa inscrição, acabei decidindo me inscrever no Sesc Triathlon Caiobá, que acontecerá dia 08/03/2015. Será meu primeiro triathlon, e escolhi este porque só ouvi falar bem da organização e da prova. Irei participar na distância short, com 750m para a natação, 20km para o ciclismo e 5km para corrida, distâncias que correspondem à metade das oficiais do Triathlon Olímpico.

– E pensando na preparação para a Patagoniarun, resolvi me inscrever na TRC Corupá Extreme Marathon 42k 07/02/2015, para participar levando em ritmo de treino.

Estes são os desafios confirmados até o momento, mas posso afirmar que para o segundo semestre desejo participar do Desafio Praias e Trilhas em Florianópolis. Esta prova é realizada com 42Km no sábado + 42Km no domingo, totalizando 84Km em um belo fim de semana na ilha da magia.

Para aguentar o tranco, estou fazendo uma base forte, me dedicando bastante a musculação, e respeitando bastante meu planejamento de treinos. O tempo é curto até a Patagoniarun, então não vou conseguir fazer treinos específicos para o triathlon, mas irei encaixar natação nos dias de descanso, e o pedal faz parte dos treinos🙂

Concluindo agora em ordem cronológica:

07/02/2015 – Corupá Extreme Marathon 42Km
08/03/2015 – Sesc Triathlon Caiobá – Short
10/04/2015 – Patagonia Run 120Km

Estou ficando louco depois que entrei nessas corridas de montanha e experimentei o gostinho das ultramaratonas, mas eu gostei, e gosto não se discute rsrs

Cada um tem seu desafio, seja completar seus primeiros 5Km, 10Km, 21Km, 42Km, e eu respeito muito tudo isso. Respeito muito também quem vai começar a correr, pois este talvez seja o mais difícil: deixar a preguiça de lado e botar o corpo pra mexer…
image

E vcs, já tem seus próximos desafios?

Treino para Ultramaratona

Em 2015 vou fazer a minha prova mais difícil até agora e resolvi dar uma pesquisada na web, e descobri este post no link abaixo:

http://www.atletismo.carlos-fonseca.com/ultramaratona.htm

Achei bem interessante e vou conversar com meu treinador e acho que vamos partir para um plano semelhante a esse. Esta semana fiz dois treinos de subida(rampa) e minha idéia é fazer bastante treinos de subidas neste mês para fortalecer meus músculos e aumentar meu VO2max.

No próximo post falo sobre minha prova alvo de 2015.

 

Descanso

Eae Galera, todos bem?

Depois das doralices que andaram rolando no meu joelho ultimamente, resolvi ir no ortopedista.

Notícia boa: Por enquanto, nada de lesão constatada.

Notícia ruim: Vou ficar 30 dias off na corrida.

Fiquei desanimado por um ou dois dias, mas recebi apoio de pessoas próximas e agora é só ter paciência.

 

Meu planejamento está em algo do tipo:

1a semana até 25/05: Apenas natação

2a. semana até 01/06: Natação + Musculação leve

3a. semana até 08/06: Natação + Musculação leve + eliptico

4a. semana até 15/06: Natação + Musculação leve + eliptico

5a semana até 22/06: Natação + Musculação + Esteira + Corrida na grama plano

A partir da 6a semana, começarei a normalizar meus treinos, mas evitando as descidas pesadas e técnicas nos treinos. Estou planejando meus treinos de subida, buscando opções para voltar descendo sem forçar, por exemplo: correr na subida, e andar na descida.

Não é fácil ficar sem a corrida na minha rotina por todo este período, mas corpo é um só e vou escutar ele. Logo estarei de volta🙂

Indomit Costa da Esmeralda Ultra Trail – 17/05/2014

Sábado 17/05/2014… Este vai ser um dia que não vai sair tão cedo da memória…
Foi neste dia que aconteceu a 1a Edição do Indomit Costa da Esmeralda Ultra Trail.
Rolaram as distâncias de 100K, 84K, 65K, 50K, 21K e 12K.
20140520-010953-4193968.jpg
Nossa equpi FC Trail foi muito bem representada nas distâncias:
100K: Thiago, Leonardo e Bruno
84K: Cesar, André e Luiz
50K: Fabiojapa, Adilson, Helen e Priscila
Foram alguns dias de muita ansiedade, com dificuldade para pegar no sono, e acordando antes do despertador rsrs
Chegamos em Porto Belo na noite anterior(16/05/2014) por volta das 21hs, em tempo de jantar com a galera. Destaque para o Cesar, que não estava muito bem, então comeu 3 pratos de macarrão hahahahahah
Tentei dormir as 23hs, mas a ansiedade pegou, e da pousada eu escutava o agito da largada do pessoal dos 100K. Então escutei a largada deles “5, 4, 3, 2, 1…aeeeeee”, e só depois disso consegui dormir.
Impressionante, deixei o despertador para acordar as 4:30, mas as 4:00 eu acordei com um sonho inesperado e não consegui dormir mais…rsrs
Café da manhã com a Helen e a Priscila, conhecemos o Gustavo de Porto Alegre e partimos caminhando até o ponto de saída do transporte… E o Gustavo estranhou que as meninas andavam muito rápido… ele não viu elas andando rápido no treino né…hahahahahah
Por lá encontramos o Adilson, e na entrada do ônibus encontramos mais amigos de Curitiba: Viviane, Marcos Paulo, Luiz Kaoru e embarcamos. No trajeto para a largada, vimos nosso amigo Geison Inacio correndo pela passarela sobre a BR, e descobrimos que ele liderava a prova dos 84K.
10292527_841557319204886_217228633734194400_n
Ali pela largada, conhecemos o Giliard, ele deu umas dicas sobre o percurso, e rolou uma emoção no Adilson rsrs
Chegou a hora… 5, 4, 3, 2, 1…vai!!!
No inicio, tentamos acompanhar o ritmo do Adilson, mas ele tinha tomado a poção do Asterix, e saiu correndo que nem um doidão. Então eu e a Helen seguimos no nosso ritmo confortável, até que começaram as subidas, e seguimos a estratégia de não forçar, e caminhar nas subidas. Seguimos nesse ritmo curtindo o visual, passando por praia, morro e mato… Mas acho que ali pelo km 13, nos separamos e cada um seguiu no seu ritmo… A Helen seguiu no ritmo para conquistar o podium e eu fiquei no meu ritmo torcendo por ela🙂
Ali pelo Km 17, vi um doido caminhando na subida, aí diminuí o ritmo porque fiquei com medo dele… O cara tava muito louco, mas quando cheguei mais perto… ele me viu e começou a correr… Era o bombeiro humorista Thiago. Ele quis correr só pra eu não passar ele hahahaha. Alcancei ele e quis seguir no ritmo dele, mas ele não deixou e ordenou que eu seguisse no meu ritmo… E assim segui…
Logo na sequencia, encontrei a Ana, e corri alternando com ela alguns trechos. Em uma parte que ela ficou para trás nas descidas… Escutei um barulho lá atrás… Achei que fosse um bicho do mato fazendo barulho, mas depois descobri que era a Ana em um de seus espetaculares tombos. Mas nem tive tempo de dar risada, porque logo depois também caí em um buraco de erosão hehehehe. Por sorte sofri apenas alguns arranhões nos braços.
Aí nestas descidas, comecei a sentir as dores no joelho novamente. Cuidei bastante nas descidas, mas mesmo assim senti as dores. Foram uns 4Km correndo com dificuldade, mas quando chegamos em uma praia que tinha posto de hidratação, parei, alonguei, tomei bastante isotônico e água, sentei, e quando me senti bem, parti novamente. A partir daí resolvi seguir essa estratégia em todos os postos. Paradas sem pressa🙂
1907322_842118339148784_4288648819380360390_n
Foi na parada do Km 29 (largada do pessoal dos 21K) que encontrei a Dani e a Rad, que estavam de apoio para nossa turma do FC Trail e foi muito legal receber essa injeção de ânimo delas. Muita palavras de icentivo, foram tão convincentes, que naquele momento eu acreditei que estava bem hahahahahhaa
Dali seguimos por muitos trechos de praia, e nos trechos de morro, rolaram parcerias com pessoal dos 100K e 84K. Esse pessoal dos 84 e 100 são meus heróis, um dia chego lá. A partir do Km 33, estava bastante difícil correr. Bastante mesmo, o corpo pedia para andar, eu via muita gente andando em trechos planos, mas trabalhei muito meu psicológico obrigando meu corpo a continuar correndo. Não foi nada fácil, me controlar pra nao pular no mar hahahahaha
Quando estava chegando no km 38(largada do pessoal dos 12K), eu estava um bagaço. Estava correndo no sacrificio, estava me sentindo fraco, e tentei aumentar um pouco o ritmo para passar bonito ali no meio da galera. Alcancei um pace incrível de 6’00”/km rsrs. Ali a emoção bateu. Passar por toda galera, todo mundo me aplaudindo, gritando “Vai lá Japa”… Locutor gritando no som “Vai Japa”… E eu no bagaço que estava… Tive que engolir o choro ali rsrs…
Parei para comer, me alongar… Encontrei um colega de Curitiba que ia fazer os 12K… Mais um incentivo fundamental… Aí o locutor veio e ficou me filmando com a minha gopro, e me entrevistou hahahahaha Eu estava só o pó, então foi papo bem idiota…. vai ficar pra mim esse vídeo😛
Faltavam “apenas” 12K. Encaramos um ultimo morro, que naquela altura, me pareceu muito pesado. Subida bem íngreme, algumas pedras. Conheci dois caras de Brusque correndo os 84K, e a partir dali nos alternamos no morro. Até que chegamos no asfalto e começamos a corre juntos. Hora eles puxavam ritmo, hora eu puxava… Quando a câimbra pegava, eu parava para alongar, e eles também paravam para alongar hahahahaha
Seguimos assim até a parte final. Aí eles aceleraram, e eu não fiz questão de acelerar… Já estava doendo tudo, então daquele jeito estava bom. Chegando próximo, faltando uns 200m para a Chegada, o campeão dos 12K estava voltando, e me viu, aí deu a volta e começou a correr comigo nesta parte final… Foi bem legal… Me deu um ânimo, e consegui baixar o pace para incríveis 6’30”/Km… e Cruzar a linha de chegada com os gritos de “CorreJapa” dos amigos, e minha esposa Vanessa toda linda gritando “Vai amor” foi muito emocionante. Tem que estar lá para etender e sentir tudo o que rolou. Vamos pra lá em 2015 para entender e sentir? rsrs
50K em 7:02’46”
1907335_504969319629404_7287981687262101426_n 10352769_504969299629406_79747263858692351_n
Aí vi que o Diego e a Jessika estavam por lá tirando fotos da chegada… Poxa muito legal a participação deles… Fotos e incentivo fundamentais… Só passando por toda essa batalha para entender🙂 Valeu TrailRunning.net.br
10359535_504969306296072_7765030730815746797_n
Esperamos a chegada de todos..
Helen(50K) chegou logo depois de mim.
Thiago bombeiro maluco(100K) chegou com a Priscila(50K) puxando ritmo…
Bruno(100K), Leo(100K) e André(84K) chegaram juntos…
Cesar(84K) chegou no sacríficio.
Seu Luiz(84K) chegou para alívio de todos🙂
Adilson foi o primeiro da turma a chegar, por isso não vi a chegada dele. Essa poção do Asterix que ele toma é o segredo dele hehehehe
PS: Para minha surpresa, fiquei em 7. na categoria, de 27 participantes na faixa etária 30-39 anos. A categoria estava fraca este ano para eu ter conseguido tal feito… está explicado nas estatísticas hahahahaha
Hidratação no dia seguinte:
10302641_842119605815324_7190480177088119525_n
O que eu quero agora? Que 2015 chegue logo para eu encarar os 84K do Indomit!