São Silvestre 2012 em fotos

Depois de quase um mês, consegui postar as fotos da São Silvestre 2012.

Confiram a muvuca:

image

image

Quanta gente!

image

 

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

 

 

image

image

Conhecemos o Rodolfo Lucena aí no meio:

http://rodolfolucena.blogfolha.uol.com.br/

image

image

image

image

image

image

image

image

image

 

image

image

Olha o palco do show da virada na Paulista:

image

image

image

image

Que calor, só de olhar:

image

image

Cada figura:

image

image

 

image

Olha o Quico! Cadê a bola quadrada?

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

Conseguimos!

image

image

image

image

Medalha suada na mão suada.

image

image

A galera do mal estava lá…

image

image

 

Minha família ficou chateada porque ficaram de um lado da Brigadeiro, e a gente passou correndo no outro lado..rsrs

image

image

image

image

image

image

image

Novinha, cadê o noivo?

image

Super Mario, Cadê o Luigi?

image

Aí estao as que comprei:

EDS12SS2459_Baixa-1800x1200pixels300dpi

SBC12SS0355_Baixa-1800x1200pixels300dpi

SBC12SS2447_Baixa-1800x1200pixels300dpi

Valeu a festa!

 

Anúncios

Treinador analisa percurso da São Silvestre 2012

Como seria bom se tivessemos uma análise deste tipo em todas as provas.

Li este artigono webrun e achei perfeito.

Treinador analisa percurso da São Silvestre 2012

Por Prof. Nelson Evêncio | 11/12/2012 – Atualizada às 07:30

 

Subida da Brigadeiro continua sendo um desafio

Subida da Brigadeiro continua sendo um desafio
Foto: Alexandre Koda/ http://www.webrun.com.br

Depois de muitos protestos e reclamações na edição passada, a 88ª Corrida de São Silvestre volta a ter a chegada na Paulista, e apresenta algumas mudanças em seu percurso, além do horário, que pela primeira vez passou para a parte da manhã. Madrugamos em um domingo, fizemos o percurso com o pessoal do jornal Folha de São Paulo e abaixo segue um resumo dos principais pontos da prova, além de algumas dicas importantes que poderão colaborar com seu desempenho.

Largada: Tradicionalmente em frente ao monumental MASP (Museu de Artes de São Paulo), este ano o site da organização divulga que a largada será nas proximidades da Alameda Ministro Azevedo, alguns metros à frente. Como a largada não será ampliada para duas vias e nem será dada em ondas, com a maior quantidade de inscritos – a organização espera cerca de 25.000 – ficará ainda mais difícil correr, caso você não largue nos pelotões de elite.

Se chegar cedo para pegar um bom lugar ficará ali espremido por muito tempo e certamente terá sua prova comprometida. O negócio é sair lá atrás, relaxar e correr mais para curtir a prova, sem muita preocupação de tempo. Caso saia nos pelotões de elite, recomendamos que aqueça bem e treine para sair forte, pois a multidão sai desenfreada e poderá te atropelar. Pelos mesmos motivos, procure largar mais pelas laterais e não pelo meio, onde mais gente fica concentrada.

Primeiro km: Após 500 metros de reta, o corredor já encontrará o Túnel José Roberto Fanganiello Melhem, com leve descida – a 1.a do percurso – e em seguida leve subida. Até ali a massa estará caminhando ou trotando muito leve, dado a grande quantidade de participantes. Não se preocupe com o tempo nesse momento da prova, pois realmente, nessas condições, será muito difícil correr. Já os corredores de elite e mais experientes poderão até acelerar e ganhar alguns preciosos segundos, sabendo que em seguida haverá descidas longas e a possibilidade de recuperar o fôlego.

Segunda descida: Seguindo a Av. Dr. Arnaldo, com cerca de 1.100 metros de prova, em frente ao Hospital Emílio Ribas, haverá uma curva à direita e a grande e íngreme descida da Rua Major Natanael. É sem dúvida um dos pontos mais arriscados e polêmicos da prova, onde o ritmo deverá ser muito controlado e consciente.

É possível que o fluxo da massa já esteja melhor, mas ainda não valerá a pena querer correr forte e tentar recuperar o tempo perdido, pois o corredor poderá se machucar e ou comprometer o restante da prova. Procure inclinar um pouco o tronco para trás e amortecer mais com os calcanhares, poupando bem seus joelhos e evitando queda para frente. Caso esteja chovendo o cuidado deverá ser dobrado.

Terceira descida: Passada a Major Natanael, esse ano o percurso irá pelo lado direito do famoso Estádio do Pacaembu e o corredor encontrará mais uma descida bem íngreme pelo caminho. A técnica e a preocupação deve ser a mesma. Nada de tentar correr forte, pois a prova ainda estará no começo.

Imagino que a maioria dos atletas de elite passará em ritmo forte, mas mesmo estando bem preparados, alguns também poderão pagar o preço mais para frente, pois o ditado “ para baixo todo santo ajuda” é um grande engano.

Encontrando seu ritmo: Finalmente passamos o estádio e seguimos no sentido centro da cidade, com leve inclinação da Pacaembu. Com três quilômetros de prova e melhor fluxo, já dará para ter uma noção de como realmente estará seu corpo no dia. Momento de finalmente começar a correr em seu ritmo.

Mudanças: Seguindo a Pacaembu por cerca de mais dois quilômetros, haverá uma entrada à direita, na Rua Margarida, em seguida a Alameda Olga, onde há uma segunda subida acentuada de aproximadamente 300 metros. Esta será uma das mudanças do percurso, seguindo por mais quatro ruas e avenidas novas: Tagipuru, Fuad Naufel (quinta descida), Auro Soares e Mario de Andrade para passar em frente ao Memorial da América Latina. Ao atravessar a Pacaembu, seguir uns 200 metros em frente e retornar novamente a Pacaembu, estando com cerca de seis quilômetros de prova.

Terceira subida e sexta descida: Viaduto Pacaembú com subida curta, mas considerável e a céu aberto e logo em seguida descida na altura de 6.200 metros de prova. Dá para tentar subir mais rápido e em seguida recuperar o fôlego na descida. Seguindo então pelas avenidas Dr. Abraão Ribeiro, Marquês de São Vicente e Rua Norma Pieruccini Giannotti, que são planas, porém totalmente desprovidas de sombra.

Quarta subida e ponto bem crítico: Viaduto Eng. Orlando Murgel – Muito se falou da subida da Brigadeiro, mas acreditamos que este seja um dos pontos mais difíceis da prova. Ele começa bem no quilômetro oito, com uma elevada subida e sem qualquer tipo de sombra, salvo se o tempo estiver nublado.

Em algumas edições, os vencedores da prova começaram destacar-se dos demais por ali. É um ponto onde o corredor deve agora inclinar o tronco mais à frente, pisar mais com a parte anterior dos pés, movimentar mais os braços e procurar não olhar muito para frente, para não se assustar com a inclinação.

Para muita gente a corrida é comprometida ou até mesmo termina por ali. Passada a subida vem uma descida leve (sétima), e em seguida uma leve subida, que seria a quinta da prova, para depois entrar na Av. Rio Branco, ponto também longo e plano.

Mais novidades no percurso: Av. Duque de Caxias, pista da direita (no contra fluxo), como ocorria nas edições anteriores à de 2011; a Av. São João, em um trecho inédito, e o Largo do Arouche, completando dez quilômetros ou dois terços da prova.

Av. Vieira de Carvalho, sentido Bairro, Praça da Republica, contornada pelo lado de trás, Av. Ipiranga (no contra fluxo) e novamente a Av. São João ( também no contra fluxo) passando pelos pontos antigos do Largo do Paysandu, Rua Conselheiro Crispiniano(sexta subida), Praça Ramos de Azevedo, o tão belo Teatro Municipal, Viaduto do Chá e Rua Líbero Badaró.

Mais subida na prova: Com cerca de 12,5 quilômetros de prova passa-se pelo Largo São Francisco, ponto onde há também uma íngreme subida, que será a sétima do percurso e última antes da temida Brigadeiro. Vale fazer um pouco mais de esforço para subi-la, pois bem em seguida haverá um trecho plano e uma leve descida (oitava), onde o corredor poderá se recuperar, organizar suas forças e concentrar para finalmente começar a subir a Brigadeiro Luis Antônio.

Av. Brig. Luís Antônio, oitava e última subida: Praticamente dois quilômetros de subida, porém com bastante sombra e muita gente incentivando no percurso. Aqueles que costumam treinar subidas, dê preferência no final dos treinos, e que se pouparem mais durante a prova, provavelmente tirarão de letra.

Mais uma vez vale inclinar o tronco a frente, pisar mais com a parte da frente dos pés, movimentar mais os braços, não olhar muito para cima, concentrar-se ao máximo ou receber o maravilhoso carinho e incentivo das pessoas. Ela é sim muito dura, principalmente no quilômetro 14, bem embaixo ao Viaduto 13 de Maio. Mas a garra, a determinação, as muitas sombras e o incentivo da população serão grandes aliados.

Chegada: Finalmente termina a subida aos 14.500 metros. Dali já será possível avistar a tão esperada curva da Avenida Paulista. Entra-se à direita como nos bons tempos (eu acreditava que a organização iria ceder à pressão) e corre-se os últimos 500 metros, passando triunfante em frente às arquibancadas, recebendo o imenso carinho da população para completar os 15 quilômetros, cruzar a tão almejada faixa de largada e comemorar muito!

Prof. Nelson Evêncio

Consultor Webrun da seção Dicas de Treinamento. Pós-Graduado em Treinamento Desportivo (CREF n.o 016048-SP), IAAF Nível 3 – CBAT n.o 525. Sócio-fundador e atual presidente da ATC (Associação de Treinadores de Corrida) e Titular da Nelson Evêncio Assessoria Esportiva.

São Silvestre 2012 – Inscrições prorrogadas

Eu achei que as inscrições já estavam encerradas, mas para minha surpresa, foram prorrogadas.

https://i0.wp.com/www.saosilvestre.com.br/images/banners/banner_inscricoes-prorrogadas_630x100.gif

Se você ainda não se inscreveu e tem vontade, aproveite:

http://www.saosilvestre.com.br/

Eu e a camilajapa estamos inscritos. Estaremos lá pela festa, pela tradição, nossa primeira São Silvestre. Afinal de contas, com toda aquela galera, vai ser difícil buscar desempenho/tempo.

Próximas provas

Já faz um tempo que não participo de provas. Pode ser este o motivo que me fez desmotivar um pouco nos treinos.

Mas já tenho duas inscrições confirmadas, e serão fora de Curitiba. Viajarei para correr em 04/11 e 31/12:

PalmeirasRun 04/11/2012

São Silvestre 31/12/2012

Com as inscrições pagas e confirmadas. agora é só pegar firme nos treinos. Ainda pretendo alguma corrida para este ano em Curitiba, mas ainda não decidi qual. Quando resolver eu posto aqui.

Dia 13/10/2012 é meu casamento, e vou viajar para Punta Cana-Republica Dominicana. Com certeza farei uns treinos por lá.

Serão minhas primeiras corridinhas em terras internacionais. Não é nenhuma Martatona de NY, mas já conta 🙂

 

Run2B….Married

São Silvestre 2012

Mais uma estréia para este ano. São Silvestre 2012 já está com a inscrição feita.


Eu e a camilajapa vamos estar nessa. Vai ser uma experiência nova.

A preparação será normal, pois não tenho pretensão de tempo. Já sei que a corrida é pura muvuca. Então será um bom tempo em pace de caminhada né…rsrs

Quem mais vai?

 

Quem estiver interessado…olha aí:

http://www.saosilvestre.com.br/

São 15Km passando por vários pontos interessantes de São Paulo.

Detalhes importantes:

– Agora terá largada pela manhã: Eu gostei, pois sobra o dia…

– A chegada volta a ser na Av. Paulista, com direito a subidona da Brigadeiro Luis Antonio: Uhullll!

 

Run2b…..brothers